Virus flame internet

Partilhe esta página





VOCÊ RECORDA-SE QUANDO O REALIDADE-OCULTA MENCIONAVA O ECHELON QUE ESPIA TODAS AS CONVERSAS TELEFÓNICAS E EMAILS ..?

RECORDA-SE QUANDO MENCIONAVA-MOS O ANTIGO VÍRUS CARNIVORE DESENVOLVIDO PELO FBI .?

RECORDA-SE QUANDO DISSÉMOS QUE A INTERNET IA SER ESPIADA POR ISRAEL E WASHINGTON ?

MUITAS PESSOAS PENSAVAM QUE ERA UMA TEORIA DE CONSPIRAÇÃO.

 

POIS VEJA ESTA NOTÍCIA, O VÍRUS MAIS COMPLEXO ALGUMA VEZ DESCOBERTO, O «FLAME» FOI CRIADO POR UMA ENTIDADE GOVERNAMENTAL, não foi criado por piratas individuais. A NOTÍCIA FOI DIVULGADA PELA FAMOSA EMPRESA KASPERSKY.

kaspersky    

 

virus flame

 

Pensa-se que este vírus, que desencadeou um complexo ciber-ataque à escala mundial, tem recolhido dados privados de uma série de países, incluindo Israel e Irão, afirmaram especialistas citados pela BBC.

A empresa de segurança informática russa Kaspersky Labs indicou à estação britânica que o malware   estará operacional desde pelo menos Agosto de 2010.
A mesma empresa indicou que os ataques terão origem num programa estatal, mas não quiseram indicar qual a eventual origem geográfica da ameaça.

As investigações às origens e objectivos deste ataque foram levadas a cabo em parceria com a International Telecommunication Union, da ONU.

No passado foi já noticiada a existência de complexo   malware   internacional com um alvo específico, como o Stuxnet, o vírus que infectou centrais nucleares iranianas. Porém, o novo vírus Flame não terá como objectivo causar danos físicos, mas antes recolher dados sensíveis dos seus alvos, indicou Vitaly Kamluk, perito da empresa Kaspersky Labs.

O professor Alan Woodward, do Departamento de Computação da Universidade do Surrey, disse à BBC que este é um ataque muito significativo.
“Isto é basicamente um aspirador industrial de informações sensíveis”, disse, explicando que ao contrário do Stuxnet, que tinha um objectivo específico, este   malware   pode apanhar tudo aquilo que lhe chegar e considerar potencialmente interessante.

Kamluk explicou à BBC como o vírus actua: “Uma vez infectado um sistema, o Flame dá início a um complexo sistema de operações, incluindo a monitorização do tráfego, a recolha de capturas de ecrã, a gravação de conversas áudio, o registo de acções no teclado e por aí fora”.

Relata a BBC que este vírus consegue detectar conversas telefónicas, gravá-las e enviá-las para os “espiões” e consegue igualmente fazer capturas de ecrã detectando automaticamente quando estão abertos programas “interessantes”, como e-mail ou mensagens instantâneas.

Mais de 600 alvos específicos foram atingidos, desde indivíduos e empresas até governos e instituições académicas.  

Uma unidade informática governamental iraniana alertou recentemente para o facto de este vírus Flame ser responsável por “recentes perdas massivas de dados” nacionais.

Os investigadores dizem que poderá demorar vários anos a ser analisado, por causa do seu tamanho e da sua complexidade, o que sugere que a sua origem poderá ser governamental (ou criada com apoios estatais) e não fruto do trabalho de ciber-criminosos independentes.

“Actualmente há três categorias de indivíduos/organizações que desenvolvem   malware   e spyware :   hacktivistas , cibercriminosos e Estados”, disse Kamluk.

“O Flame não tem a intenção de roubar dinheiro de contas bancárias. E também é diferente do simples   malware   usado pelos   hacktivistas .
Por isso, ao excluirmos os cibercriminosos e os   hacktivistas , chegamos à conclusão que o mais provável é que a ameaça venha do terceiro grupo”, indicou o mesmo responsável.

Entre os países afectados pelo ataque contam-se o Irão, Israel, Sudão, Síria, Líbano, Arábia Saudita e Egipto.

“A geografia dos alvos e também a complexidade da ameaça não deixa qualquer dúvida sobre a hipótese de ter sido um Estado-nação a patrocinar a investigação que deu origem a isto”, disse Kamluk.

O primeiro registo da actuação do vírus Flame foi detectado pela empresa Kaspersky em Agosto de 2010, apesar de ser provável que o   malware   estivesse a operar desde antes.

 

jornal : Público

Mais uma notícia relacionada: Jornal de Notícias.

 

cyber
Japoneses criam Software de vigilância global na internet.

 

 

 

***