Dicas de poupança

Partilhe esta página





Prevenção:

Comece a fazer um pé-de-meia , poupe.
Faça uma lista com as receitas e as despesas da família para averiguar os seus gastos supérfluos.
E lembre-se: pequenos cortes, ao fim de alguns meses podem significar uma poupança importante.
Imagine que gasta todos os dias 2,5 euros a tomar o pequeno-almoço fora.
Se optar por tomar esta refeição em casa chegará ao final do ano com 912 euros no mealheiro. Se tem assinaturas de revistas, ou serviços que pode dispensar, corte-os. Se fuma, considere deixar de fumar, faz bem à saúde e à carteira…
Certos fumadores gastam quase 200 euros por mês em tabaco. Se não conseguir deixar de fumar, pode optar pelos cigarros de enrolar, ou os electrónicos, e poupará bastante dinheiro.

 

Compras :

Quando for às compras no supermercado, nunca vá com fome, pois desse modo irá comprar impulsivamente produtos que não necessita.
Opte pelas marcas brancas, mais baratas, leve uma lista dos produtos que necessita. Não use cartões de crédito dos supermercados, que permitem pagar as compras em prestações ( você acabará por pagar juros,) e irá acumulando dívidas, adiando sempre o pagamento para os meses seguintes, mas vai sempre acumulando dívida (porque todos os meses comprará alimentos ).
Há cartões com descontos e acumulará dinheiro no cartão, esses são bons.
O minipreço por exemplo ( não querendo fazer publicidade) emite talões de desconto, que assim não lhe custarão nada, mas pode obter com eles descontos de 20 ou 30% em produtos úteis ( pacotes de arroz, feijão, frutas, iogurtes , coisas assim).

Evite levar as crianças, elas podem fazer choradeira exigindo que leve guloseimas e outros produtos, metê-los no cesto, exigir produtos, e será difícil você controlar tudo...

Se tiver um quintal, faça uma pequena horta, cultive legumes e vegetais, poupará algum dinheiro…

 

 

 

 

Peça ajuda :

Os especialistas aconselham as famílias a pedir ajuda aos primeiros sinais de dificuldades.
O primeiro ponto passará por falar com as instituições financeiras e tentar renegociar os créditos Poderá também recorrer à rede de amigos e familiares para tentar conseguir equilibrar o seu orçamento familiar. E saiba que também no caso dos empréstimos entre particulares há regras a ter em conta.
Por exemplo, os juros cobrados entre particulares não podem ser superiores em 3% ou 5% à taxa legal (dependo do caso de haver ou não uma garantia).
Evite pedir ajuda a empresas de empréstimos como a cofidis e outras, pois acabará por pagar juros elevados ( na ordem dos 25%) e leva bastante tempo a pagar a dívida ( mais de 4 anos ), algumas dessas empresas ameaçam as pessoas com processos em tribunal ou utilizam cobradores para ir a casa das pessoas pressioná-las a pagar, intimidando-as.
Peça ajuda a amigos ou familiares, ou tente renegociar o crédito com o seu Banco ,pode pedir ajuda à DECO nessa situação, para servir de intermediária.

 

Fale com o seu banco :

Se está numa situação em que se encontra já à beira do incumprimento, não espere mais tempo , fale com o seu banco, exponha a sua situação e tente renegociar as condições do seu empréstimo. Isto porque os bancos estão hoje mais abertos a fazer este processo de renegociação com os clientes do que no passado.

Em relação ao crédito Habitação, alguns Bancos propõem trocar a sua casa por outra menor ( por exemplo um T3 por um T2), pagando então uma renda mais baixa, ou então alargar o prazo do pagamento por mais alguns anos (baixando assim a prestação mensal da casa)…
Outros Bancos propõem que você lhes venda a sua própria casa e assinem um contrato de arrendamento dessa mesma casa, assim passam a ser inquilinos, exclusivos, dessa casa, pagando prestação mais baixa. Existe um variado leque de opções, é sempre melhor do que perder a sua casa e esta seja penhorada.
Peça conselhos a algum amigo(a) advogado/a, ou à DECO.

 

Cartão de crédito :

Existem cartões sem necessidade de pagar anuidade, ou seja: ficam grátis. Quando utilizar o cartão escolha a opção de pagar o valor a 100% no mês seguinte, assim pagará a totalidade do valor que gastou e ZERO POR CENTO de juros :-)

 

Pedir carência de capital :

Uma solução que poderá negociar com o seu banco passa por pedir um período de carência de capital. Nesse período pagará apenas os juros relativos ao capital em dívida. Uma família com um crédito no valor de 100 mil euros a pagar em 20 anos, com uma TAN de 3,121% e que tenha hoje uma prestação de 560euros, se optar por pedir a carência de capital durante três anos, a prestação baixará para os 259,17 euros, nesse período. Mas findo esse prazo a prestação agravar-se-á para os 631,77 euros.
Além disso, ao optar por pedir a carência de capital os custos com os juros globais disparam.

 

 

Consolide os créditos:

Quem tem vários créditos a pagar, fazer a consolidação dos vários empréstimos num só pode ajudar a reduzir os encargos mensais. Em alguns casos, com esta solução, consegue-se a redução dos encargos mensais entre 30% até 60%. No entanto, há algumas desvantagens.

De tal forma, que alguns especialistas aconselham os consumidores a recorrerem ao crédito consolidado em último recurso apenas.

 

FÉRIAS :

Não peça crédito para ir viajar ao estrangeiro, como muitos fazem..
Depois ficaria 4 anos a pagar o empréstimo. Escolha uma opção mais económica, se tiver pouco dinheiro, faça turismo em Portugal que tem sítios muito bonitos por descobrir, desse modo poupará dinheiro em viagens de avião, e estará a ajudar a economia Nacional, essas empresas Portuguesas que vivem do Turismo, etc.

 

Na farmácia:
Sempre que possível escolha medicamentos genéricos , a diferença de preços entre estes e os medicamentos tradicionais podem atingir valores astronómicos…
E os produtos são idênticos.

 

Restaurante:

Não necessita ir ao restaurante várias vezes no mês :-) Escolha 1 ou 2 dias no mês, vá com a sua família. Existem menus promocionais a 4 ou 5 euros.
Pode optar por não consumir as entradas ( queijos, pão, azeitonas, patés ) e assim poupará logo 2,5 euros ...

 

Roupa:

Aproveite saldos, fins de stock, e pode poupar até 70%. Compre roupa em fim de época (Por exemplo roupa de verão já no Outono, assim pode comprar peças mais baratas e que servem para o verão do ano seguinte).
Ou então vá às feiras, existe roupa bonita e três vezes mais barata.
A “qualidade” é algo controverso, há quem diga que roupa de marca (estilo: Nike, adidas, reebok ) é melhor, mas repare que você está pagando apenas a marca… Muitas dessas blusas de marca são fabricadas também na CHINA, essas empresas têm fábricas na china e poupam milhões de dólares , e a roupa ganha borboto da mesma forma que a roupa de feira.

Existem compras que pode fazer online, em sites de lojas conhecidas como a Fnac, Worten, la-redoute e outras, e têm preços mais baratos online.
Poderá ainda visitar sites que comparam preços, e assim ficará a saber quais sites têm preços mais baratos.

 

 

 

Telemóvel:

Escolha um tarifário económico, hoje em dia existem tarifários com chamadas grátis e sms grátis para a mesma rede. Por exemplo em vez de fazer um telefonema, poderá falar do mesmo assunto em apenas 1 ou 2 sms gratuitas,
e pronto :-) Existem várias opções, alguns tarifários sem carregamentos obrigatórios, consulte a sua operadora.

Aprenda a dizer NÃO, quando recebe telefonemas de propagandas e propostas abusivas de publicidade, andam todos a querer vender o seu peixe, aprenda a dizer "Não estou interessado(a) ".

 

Ginásio :

Gosta de praticar exercício? Em vez de frequentar ginásios que cobram 40 ou 50 euros por mês, procure na sua freguesia/cidade se há um ginásio Municipal, têm preços mais económicos, alguns a cerca de 2 euros por mês.
Ou então faça o exercício ao ar-livre, (caminhada, corrida, flexões, abdominais) leve companhia consigo.

 

 

 

***