pedofilia no vaticano

 

Partilhe esta página





 


O Vaticano elaborou há mais de 40 anos um documento confidencial , que revela uma política de total descrição em casos de abusos sexuais cometidos por sacerdotes!

A denúncia foi feita pelo canal americano CBS, o documento escrito em 1962 pelo cardeal Alfredo Ottaviani, diz que qualquer pessoa que fale de casos de abuso sexual pode ser expulsa da Igreja. Refere-se ainda aos piores casos, incluindo ''abusos sexuais de jovens de qualquer sexo ou animais por sacerdotes''. Animais!?? Zoofilia no Vaticano !

Nos EUA a Igreja católica esta manchada pelos escândalos sexuais, o Arcebispo de Boston aceitou 85 milhões de dólares para pôr fim a 542 processos por abuso sexual. Uma investigação de 6 meses á arquiiocese de Boston, reconheceu cerca de 789 vítimas de abuso sexual que acusavam 237 sacerdotes da região.
Declarou Tom Reilly (promotor-geral do Estado americano de Massachusetts).

Também haviam casos em Chicago, Mississipi nos EUA, e também outros países fora dos EUA.

O vaticano para evitar escândalos preferia tranferir os padres e manter silêncio sobre os escândalos de pedofilia !

Leia mais em : http://www1.folha.uol.com.br/folha/reuters/ult112u25659.shtml e: http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/papa-pedofilia.shtml

 

Artigo publicado na revista “Focus” nº 407, páginas 118 e 119.

“O Alto preço do Pecado”

Igreja católica obrigada a pagar indemnização de 500 milhões de euros a vítimas dos padres pedófilos.

Artigo do jornalista Diogo Schelp/Veja, saiu na FOCUS nº 407.

Existem mais de 400 processos contra a Igreja por abusos sexuais, noutras cidades americanas além de Boston. As indemnizações servem para as vítimas desistirem dos processos. Até agora a Igreja já pagou mil milhões de dólares.

Em acordos anteriores a Arquidiocese de Los Angeles já havia pago 114 milhões de dólares.
O Cardeal Roger Mahony, arcebispo de Los Angeles, diz que terão que vender algumas propriedades para pagarem as indemnizações.

 

Alguns números negros:

Ano 1985, são conhecidos primeiros casos de abusos, o padre Gilbert Gauthe admitiu ter molestado 11 crianças.

Ano 1993, o Padre Rudolph Kos, da Diocese de Dallas, cometeu abusos.

Ano 1999, Violações por parte do padre John Geoghan.

Ano 2002, João Paulo II finalmente convoca uma reunião de emergência.

Foram presos o bispo americano Shanley, depois o jesuíta James Talbot, e em Dezembro mais oito padres de Boston. Uma base de dados online revela nomes de 500 padres pedófilos. O arcebispo de Boston, Bernard Law demite-se,

Ano 2003, A Arquidiocese de Boston evita a bancarrota vendendo imobiliário para pagar mais de 70 milhões de euros de indemnização a 500 vítimas.

Ano 2004, Um relatório encomendado pela Igreja diz que mais de 4000 padres foram acusados de pedofilia nos últimos 50 anos, em casos que envolveram mais de 10.000 crianças.!

Ano 2006, A Arquidiocese de Los Angeles paga 43 milhões de euros em indemnizações.

Ano 2007, A Arquidiocese de Los Angeles chega a acordo com 500 vítimas para o pagamento de um total de 480 milhões de euros.

 

luciano storero

A 31 de Janeiro de 1997 o arcebispo Luciano Storero assinou um documento, aconselhando a Igreja a lidar internamente com os casos de abusos sexuais de crianças, em vez de reportar os casos às autoridades civis, para evitar escândalos. O papa João Paulo II tinha conhecimento dessa política de encobrimento dos casos de pedofilia.

Clique na imagem abaixo para ver em grande:

Em 1962 o Vaticano emitiu um documento «Crimen Solititiacionis» , que actualmente é chamado Congregação para a Doutrina da Fé, dando instruções especificas aos bispos como lidar com casos de padres pedófilos, e cujas vítimas deveriam manter sigilo.

Primerio, o documento impõe o segredo absoluto sobre os casos de abuso sexual a todos os que deles tenham conhecimento. A violação do segredo, isto é a denuncia de casos de pedofilia, quer por parte das vitimas quer por parte de terceiros, implica a excomungação imediata.
Segundo, o documento dá instruções especificas como lidar com os padres que cometem os crimes: simplesmente estes deverão ser re-colocados em paróquias insuspeitas, onde não recaim sobre os padres acusações ou suspeitas semelhantes. Quando isso acontecer, receberão a ordem para irem pregar noutra freguesia.

O Vaticano não só cultiva uma politica activa de obstrução à Justiça com o seu Crimen Sollicitationis , como ainda acolhe, protege e recusa extraditar criminosos.
Muitas vitimas ou dissidentes referem ainda um orçamento disponivel para subornar as vitimas e as familias .

Faça AQUI Download de um ebook pdf sobre o Crimen Solicitationis.

 

emanuela orlandi

Uma menina de 15 anos, Emanuela Orlandi, era filha de um funcionário do Vaticano, ela desapareceu a 22 de Junho de 1983 , após uma aula de música, em Roma.

Um padre Gabriele Amorth , especialista em exorcismos no Vaticano, disse que esse caso foi um caso de rapto para utilizar a menina em abusos sexuais.

O artigo foi publicado num jornal italiano « La Stampa » .

O Jornal britânico The Telegraph também publicou um artigo .

Mas existem muitos outros casos como esse.

 

Escândalo de pedofilia envolve família Ratzinger :

O último escândalo de pedofilia na Alemanha envolve um apelido conhecido em todo o Mundo: Ratzinger. O irmão de Joseph Ratzinger (Papa Bento XVI) era director musical de um colégio interno de Ratisbona, no qual várias crianças foram vítimas de abusos sexuais entre 1958 e 1973. Casos conhecidos agora, mas já prescritos judicialmente.

Os abusos a menores no Coro da Catedral de Ratisbona, uma das escolas mais prestigiadas do país, foram confirmados por Clemens Neck, porta-voz do bispado da cidade. A Conferência Episcopal alemã condenou o escândalo e pediu perdão a todas as vítimas.

Os responsáveis pelos abusos seriam membros da direcção, alguns condenados a penas de prisão.

Precisamente nessa altura, um dos directores musicais do colégio foi Georg Ratzinger, agora com 86 anos, que ocupou o cargo entre 1964 e 1994.

fonte: Correio da Manhã .

 

 

Muitos padres pedófilos nunca foram punidos nem entregues às autoridades civis, o Vaticano sempre tentou esconder esses casos.
Por exemplo havia um padre pedófilo Oliver O'Grady, mas a Igreja ocultou o caso. O Papa Ratzinger ( Bento XVI ) sabia desses casos.

Esse padre Oliver O'grady, estimam-se que tenha violado cerca de cem crianças. Um documentário americano produzido em 2006 por Amy Berg ,
« Deliver us from Hell», noticiou esse e outros casos.

oliver o'grady

 

Somente nos E.U.A, estimam-se cerca de 100.000 vítimas de abusos sexuais por parte da Igreja. !

 

 

 

Sexo e o Vaticano :

sexo e vaticano

O jornalista italiano Carmelo Abbate lançou um livro que provocou alvoroço nos bastidores da Santa Fé porque revela a vida clandestina de padres e freiras de congregações de vários países com representação no Vaticano e em algumas cidades de Itália.

O livro chama-se “Sexo e o Vaticano, viagem secreta ao reino dos castos”. A viagem, no caso, foi a convivência de vários meses que Abbate teve, como infiltrado, entre sacerdotes e religiosas heterossexuais e homossexuais com intensa actividade sexual.

O jornalista apresenta relatos de orgias, de encontros com amantes, visitas a prostíbulos, sacerdotes com união estável e filhos, abortos e outros casos considerados pecados graves pela Igreja Católica.

Há também informação sobre as aventuras de padres homossexuais em casas nocturnas.

Piemme, a editora do livro, adiantou que Abbate conta como sacerdotes se dividem “entre as austeras salas da Via della Conciliazione (avenida de acesso ao Vaticano) e a movimentada Roma by night”.

O Vaticano não quis comentar o livro e negou que existam padres homossexuais na Santa Fé. O vaticanista Marco Tosatti admitiu existir padres “com tendência homossexual”, mas, segundo ele, são poucos.

Abbate criticou a cultura de sigilo do Vaticano e a insistência da igreja em negar a existência dos desejos sexuais dos sacerdotes.

 

 

 

***